Aromas, perfumes e histórias

O segmento de perfumaria é um dos mais tradicionais dentro do mercado de luxo e, ao longo da história, já legou ao mundo clássicos como Chanel Nº 5 imortalizado por Marilyn Monroe. E para a criação de fragrâncias que se eternizam com o passar do tempo, a escolha e produção das matérias-primas naturais é um dos aspectos mais fundamentais.

É nesse sentido que atua a francesa Robertet, líder mundial em matérias-primas naturais que trabalha em parceria com as mais renomadas e sofisticadas grifes do mercado de perfumaria, como Armani, Burberry, Chanel, Dior, Guerlain, Hermés, Marc Jacobs e Mont Blanc.

Essa história começou a ser construída em Grasse, capital dos perfumes na França há 167 anos e desde então cultiva o primor de suas criações com sua expertise em naturais. Em solo brasileiro desde 1963, a empresa faz história criando cheiros que se adéquam ao mercado e cativam os consumidores.

E cada fragrância tem sua própria história. Com base em um detalhado briefing do público alvo e da categoria de produto que a fragrância irá perfumar, inicia-se a construção do perfume. “Dispomos de diferentes informações que nos fazem partir de um ponto inicial para a criação do cheiro. Este cheiro é pensado em três etapas que compõe a pirâmide olfativa. As primeiras notas que identificamos no perfume, são chamadas de ‘cabeça’ ou notas de saídas. A segunda, chamada de ‘corpo’ ou nota de coração, é a assinatura da fragrância. Por último, temos a ‘base’ ou as notas de fundo do perfume que é responsável pelo residual do cheiro na pele e pela duração do perfume”, explica Cynthia Crespo, gerente da Divisão de Fragrâncias.

Porém, criar e desenvolver cheiros não é tarefa fácil. De acordo com Cynthia, as etapas envolvem pesquisa de mercado, avaliações de tendências mundiais, perfil de consumidor e entendimento dos hábitos do público alvo, para que a fragrância tenha sucesso no produto.

“O olfato é o mais primitivo e subjetivo dos sentidos. Cada pessoa desenvolve através de suas experiências de vida diferentes memórias olfativas, que quando acionada através do cheiro, desperta reações e sentimentos que se diferenciam de pessoa para pessoa. Quando trabalhamos no desenvolvimento de uma fragrância, nosso grande desafio é despertar uma sensação positiva daquele cheiro no maior número de pessoas possíveis, desta forma, conseguimos contribuir para o sucesso do produto despertando uma sensação de bem-estar no consumidor”, define Cynthia.