Combata o workaholic que existe em você

Trabalhar a mais nem sempre é motivo de orgulho, pois, essa situação pode caracterizar uma disfunção conhecida como workaholic. Trabalhar mais de 12 horas por dia no escritório e ainda levar serviço para casa, além de não desgrudar o olho do celular no fim de semana e checar de minuto a minuto as mensagens para ver se existe alguma pendência no trabalho são as características que determinam uma pessoa workaholic.
Quando o indivíduo não consegue se desligar do trabalho, deixando de lado sua convivência social, seja com familiares ou amigos, essa pessoa se torna um trabalhador viciado e compulsivo. Os sintomas desse distúrbio de comportamento são autoestima exagerada, insônia, mau-humor, impotência sexual, atitudes agressivas em situações de pressão e, muitas vezes, depressão.
A situação é problemática e pode trazer sérios prejuízos para o profissional e, até mesmo, para a empresa. No início, a velocidade dos resultados é satisfatória para ambos os lados, porém há um desgaste emocional natural, pois ele estará isolado e restrito ao tema trabalho, o que, consequentemente, bloqueará sua sociabilização e poderá resultar em sérios transtornos futuros para sua vida.
É normal trabalhar esporadicamente além da sua carga diária, contudo, essa ação deve ser meramente por necessidade de urgência e de impacto específico. A partir do momento que a carga horária começa a extrapolar constantemente é momento de refletir, uma vez que o trabalho será saudável enquanto não aprisiona a pessoa na necessidade constante de falar e estar agindo pelo trabalho.
Para combater esse mal é preciso ter equilíbrio entre a vida profissional e a pessoal, buscar valorizar mais os momentos de lazer e perceber que o descanso é fundamental para melhores resultados e na busca de novas ideias que podem potencializar os ganhos no trabalho.
Worklover
Existe uma diferença entre o amor e o vício ao trabalho. Worklovers têm ideia de que o excesso se refletirá em conflitos nos relacionamentos pessoais, além de proporcionar efeitos nocivos à saúde e bem-estar. O fato de ser workaholic não significa que o profissional seja produtivo.