Estudo que cria ferrovia entre MS e PR deve ser assinado em julho

ads

Está prevista para julho a assinatudo do EVTEA (Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental) do trecho ferroviário que irá interligar o município de Maracaju à cidade de Cascavel (PR) deve ser assinado nos próximos 30 dias pelo Governo do Paraná, segundo afirmou na terça-feira (16) o titular da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruck.

O anúncio ocorreu durante a primeira reunião de trabalho após o anúncio da qualificação do projeto no âmbito do PPI (Programa de Parcerias de Investimentos) realizado pelo Ministério da Economia e que deve acelerar o processo de desestatização da Ferroeste (Estrada de Ferro Paraná Oeste S.A.).

O EVTEA é documento necessário para liberar o processo de licitação para a construção da ferrovia, pois a partir dele será estabelecida a rota mais adequada, quais as restrições, quais os investimentos necessários e qual é a viabilidade econômica.

A partir de agora, o governo federal passa a auxiliar o governo paranaense com apoio técnico regulatório necessário para a elaboração do edital de licitação, sendo que o primeiro passo é o EVTEA. A expectativa é que MS se beneficie com a construção do ramal, que possibilitará o escoamento da produção, sobretudo, de soja, etanol e outros produtos até o Porto de Paranaguá.

O EVTEA já foi licitado e contratado pelo Governo do Paraná, com recursos do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e a perspectiva é de que nos próximos 30 dias ocorra a assinatura com a empresa ganhadora.

Grupo de Trabalho

Nas próximas semanas, o Governo do Paraná deve estabelecer um grupo de trabalho específico para tratar do EVTEA no âmbito da administração estadual paranaense, enquanto que em MS uma equipe multidisciplinar será definida para auxiliar no Estudo naquilo que for relativo ao Estado.

A Ferroeste, no trecho de 248 km entre Guarapuava a Cascavel, bateu recorde de operação neste ano. Com isso, o foco é fazer chegar a linha férrea chegar até o Porto de Paranaguá e interligar Maracaju nesse percurso.

Na sequência, será iniciada a elaboração do EIA (Estudo de Impacto Ambiental) e de seu respectivo RIMA (Relatório de Impacto Ambiental, que são de competência do Ibama, devido ao impacto em dois estados no Rio Paraná, de jurisdição da União.

A expectativa, de acordo com o titular da Semagro é de que o leilão da Ferroeste ocorra e seja concluído até o final de 2021. “Já existe uma concessão vigente para essa ferrovia, que vai até 2079. Há uma estimativa inicial de investimento total na ordem de R$ 8 bilhões, sendo que cerca de R$ 3 bilhões voltados para as obras no percurso dentro de Mato Grosso do Sul, o que daria uma perspectiva de mais de 1000 empregos no período de construção. É uma obra fundamental para o Estado”, finalizou o secretário.

ads
ads

Você pode gostar

Vídeos Quentes
ads
Nas noticias
Carregar Mais
ads
×

Powered by WhatsApp Chat

× Fale conosco pelo whatsapp!