Finalmente liberado voos fretados, diminuindo custos e aumentando a concorrência

Airplane Skyline Horizon Flight Cloud Concept

Teve início a nova regra para voos charters, os chamados voo de férias, que deixaram de necessitar da autorização prévia da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para a realização de voos. O setor do turismo comemora a novidade que deverá estimular a aviação regional e consequentemente o uso de aeroportos de menor porte em todo o país, impulsionando o turismo doméstico. Resta saber se isso irá funcionar e se os custos baixarão, pois por conta da cobrança das bagagens aéreas, os voos estão muito mais caros. A regra foi um grande engodo com as bênçãos da ANAC.

O diretor-executivo da ABAV Nacional,  Gervásio Tanabe, ressaltou que o aumento da concorrência poderá ter impacto nos custos para os passageiros. “A possibilidade de negociação direta entre as agências de viagens e operadoras de turismo com as companhias aéreas e os aeroportos, no que tange a horários e tarifas, abre uma flexibilidade muito importante e amplia a concorrência nas relações comerciais, o que poderá viabilizar redução de custos, inclusive para o passageiro, além de desburocratizar os processos operacionais. Esse é um pleito que a ABAV já vem defendendo há bastante tempo”, afirma.

Em geral, os voos charters ocupam horários ociosos dos aeroportos e são utilizados principalmente para viagens de lazer com duração de uma semana. Por esse motivo, os custos são reduzidos e chegam até a metade do preço de um voo regular das empresas aéreas. Como eles são contratados por operadoras de turismo ou agências de viagem para atender a um destino específico, o passageiro não pode remarcar as datas ou endossar o bilhete em outra companhia.