MS deve alcançar imunidade coletiva em setembro, acredita secretário de Saúde

ads

Para atingir a chamada 'imunidade de rebanho', o estado precisa ter 70% da população imunizada. Atualmente, segundo o secretário da SES, o estado é o que mais vacinou contra a Covid no Brasil.

Com o avanço da vacinação em Mato Grosso do Sul, o secretário de Saúde Geral Resende, informou nesta quarta-feira (30), em coletiva, que acredita que o estado conseguirá alcançar a imunidade coletiva em setembro deste ano.

Um dos fatores, que contribui para esse feito tem ligação com o estudo de imunização em massa para 13 municípios de fronteira e também pelo o estado estar em primeiro lugar das unidades federativas que mais vacinou contra a Covid até agora no Brasil, reforçou Resende que ainda acrescentou:

"Eu acredito que da forma que estamos vamos conseguir em breve a imunidade coletiva. Vai ser muito mais adiantado do que os outros estados da federação. A maioria deles [estados] vão até dezembro e acredito que nós, vamos fazer isso em setembro. Será uma data especial quando a gente poderá definitivamente dizer que aqui no Mato Grosso do Sul nós atingimos o percentual da imunidade coletiva, e assim, poderemos retornar a nossa nova normalidade", explicou.

Conforme Resende, já foi solicitado um levantamento sobre a data que definitivamente a SES deverá anunciar a superação da imunização coletiva.

Outro ponto positivo, sem deixar de lado as medidas restritivas, é que nesta quarta-feira (30), a fila de espera por um leito de Covid está com 27 pacientes, sendo 22 da regulação de Campo Grande, 2 de Dourados e mais 3 da regulação do estado. Ele ainda pontuou que esse número já chegou a quase 300 pessoas.

Ainda de acordo com Resende. É que essa melhora dos números de enfretamento à Covid, é reflexo das medidas restritivas que foram assertivas e que contribuíram para a redução em todas as taxa de ocupação de leitos de UTI das microrregiões do estado.

Conforme o secretário, os esforços das equipes de saúde de cada município estão refletindo na abertura de novas vagas de leitos. As cidades que já estão nesse patamar são: Aquidauana, Aparecida do Taboado, Bataguassu, Corumbá, Coxim, Jardim, Paranaíba, Ponta Porã, Sidrolândia e Três Lagoas: "Isso têm contribuído para diminuir a agonia de ver parentes de pessoas que aguardam leitos de UTI", disse.

Outro ponto que Resende destacou é que as taxas de leito das microrregiões estão diminuindo, mas ressalta que todos os cuidados quanto as normas de biossegurança ainda devem ser mantidas e seguido por toda população.

ads
ads

Você pode gostar

Vídeos Quentes
ads
Nas noticias
Carregar Mais
ads
×

Powered by WhatsApp Chat

× Fale conosco pelo whatsapp!