Noz-moscada: conheça benefícios e cuidados do consumo

ads

noz-moscada é uma especiaria obtida a partir das sementes da Myristica fragrans, uma árvore tropical perene nativa da Indonésia. É possível encontrar sementes inteiras de noz-moscada, mas sua versão já moída, em pó, é a mais comum (e mais barata). Mas seu sabor é melhor aproveitado se for ralada apenas na hora do consumo.

De sabor quente e marcante, a noz-moscada é muito usada em sobremesas e pratos indianos, além de bebidas como vinho quente e chai. Ela também combina com refogados de legumes, purês como o de batata-doce e receitas salgadas à base de leite, como estrogonofe e molho branco.

Embora seja mais comumente usada por seu sabor do que por seus benefícios à saúde, a noz-moscada contém uma impressionante variedade de compostos que podem ajudar a prevenir doenças e promover sua saúde geral. Seu consumo, no entanto, deve ser moderado, já que a alta dosagem pode causar reações adversas.

1. Contém antioxidantes

Embora de tamanho pequeno, as sementes das quais a noz-moscada é extraída são ricas em compostos vegetais que atuam no corpo humano como antioxidantes (confira estudo a respeito: 1). Esses compostos protegem nossas células dos danos causados ??pelos radicais livres (2).

Quando os níveis de radicais livres no corpo se tornam muito altos, ocorre o chamado estresse oxidativo, fenômeno associado ao aparecimento e progressão de muitas condições crônicas, como certos tipos de câncer, doenças cardíacas e neurodegenerativas (3).

Fazem parte dos antioxidantes presentes na noz-moscada pigmentos vegetais como as cianidinas, óleos essenciais como fenilpropanoides, terpenos e compostos fenólicos, incluindo ácidos protocatecuico, ferúlico e cafeico (1).

Um estudo em animais mostrou que o consumo de extrato de noz-moscada evitou danos celulares em ratos tratados com isoproterenol, um medicamento conhecido por induzir estresse oxidativo grave. Os ratos que não receberam o extrato sofreram danos significativos nos tecidos e acabaram tendo morte celular. Por outro lado, o grupo que recebeu o extrato de noz-moscada não experimentou esses efeitos (4).

Estudos em tubo de ensaio também constataram poderosos efeitos antioxidantes do extrato de noz-moscada contra os radicais livres (confira estudos a respeito: 5678).

2. Possui propriedades anti-inflamatórias

A inflamação crônica está ligada a muitas condições de saúde adversas, como doenças cardíacas, diabetes e artrite (9). A noz-moscada é rica em compostos anti-inflamatórios chamados monoterpenos, incluindo sabineno, terpineol e pineno. Essas substâncias podem ajudar a reduzir a inflamação no corpo e beneficiar pessoas com condições inflamatórias (1).

Além disso, a grande variedade de antioxidantes encontrados na especiaria, como as cianidinas e os compostos fenólicos, também possuem propriedades anti-inflamatórias (confira estudos a respeito: 110).

Um estudo induziu inflamação em ratos e tratou alguns deles com óleo de noz-moscada. Os ratos que consumiram o óleo apresentaram reduções significativas na inflamação, na dor relacionada a ela e no inchaço nas articulações (11).

3. Pode aumentar a libido

Alguns estudos em animais mostram que a noz-moscada pode aumentar o desejo sexual e o desempenho.

Em dois estudos, ratos machos que receberam altas doses de extrato de noz-moscada (500 mg por kg de peso corporal) tiveram aumentos significativos na atividade sexual e no tempo de desempenho sexual em comparação com os grupos controle (confira estudos a respeito: 13 e 14).

Os pesquisadores ainda não sabem exatamente como o tempero aumenta a libido. Alguns supõem que esses efeitos se devam à sua capacidade de estimular o sistema nervoso, além de seu alto conteúdo de compostos vegetais (13).

Na medicina tradicional, como a medicina Unani usada no sul da Ásia, a noz-moscada é usada para tratar distúrbios sexuais. No entanto, faltam pesquisas sobre seus efeitos na saúde sexual em humanos (14 e 15).

4. Possui propriedades antibacterianas

Foi demonstrado que a noz-moscada tem efeitos antibacterianos contra cepas de bactérias potencialmente prejudiciais, como Streptococcus mutans e Aggregatibacter actinomycetemcomitans, que podem causar cáries dentárias e doenças na gengiva.

Um estudo em tubo de ensaio descobriu que o extrato de noz-moscada demonstrou poderosos efeitos antibacterianos contra essas e outras bactérias, incluindo Porphyromonas gingivalis (16). Verificou-se também que a noz-moscada inibe o crescimento de cepas prejudiciais da bactéria E. coli, como o O157, que pode causar doenças graves e até óbito em humanos (1 e 17).

Embora esteja claro que a noz-moscada tem propriedades antibacterianas, são necessários mais estudos em humanos para determinar se ela pode tratar infecções bacterianas ou prevenir problemas de saúde bucal relacionados a bactérias em humanos.

Precauções

Embora seja improvável que a noz-moscada cause danos quando consumida em pequenas quantidades, como no caso de seu uso como tempero, tomá-la em altas doses pode causar efeitos colaterais adversos

Isso porque ela contém os compostos miristicina e safrol, que podem causar sintomas como alucinações e perda de coordenação muscular quando ingeridos em grandes quantidades. Segundo estudo, misturar noz-moscada com medicamentos alucinógenos aumenta o risco de efeitos colaterais perigosos (22).

De fato, entre 2001 e 2011, 32 casos intoxicação por noz-moscada foram relatados no estado norte-americano de Illinois. 47% desses casos estavam relacionados à ingestão deliberada de pessoas que usaram a noz-moscada por seus efeitos psicoativos (22).

A miristicina, principal componente do óleo essencial encontrado na noz-moscada, possui poderosas propriedades psicoativas e é considerada responsável por esses efeitos tóxicos (23). Foram relatados casos de intoxicação por noz-moscada em pessoas que ingeriram 5 gramas da especiaria, o que corresponde a cerca de 1 a 2 mg por quilo de peso corporal (confira estudo a respeito: 24).

A toxicidade da noz-moscada pode causar sintomas graves, como batimento cardíaco acelerado, náusea, desorientação, vômito e agitação. Pode até levar à morte quando combinada com outras drogas (confira estudos a respeito: 25 e 26).

Além disso, estudos em camundongos e ratos demonstraram que tomar altas doses de suplementos de noz-moscada, a longo prazo, leva a danos nos órgãos. No entanto, não está claro se os humanos também experimentariam esses efeitos (2728 e 29).

É importante notar que esses efeitos tóxicos estão ligados à ingestão de grandes quantidades de noz-moscada - e não das pequenas quantidades normalmente usadas na cozinha (24). Para evitar esses efeitos colaterais potencialmente prejudiciais, evite consumir noz-moscada em excesso e não a use como droga recreativa

ads
ads

Você pode gostar

Vídeos Quentes
ads
Nas noticias
Carregar Mais
ads
× Fale conosco pelo whatsapp!