O aglomerado e a Tarântula

ads

O conjunto de estrelas concentradas nessa imagem é o super aglomerado R136, formado por estrelas jovens, com idades entre 1 e 2 milhões de anos, entre as quais há principalmente estrelas gigantes e supergigantes — algumas delas estão entre as maiores, mais quentes e mais massivas conhecidas pelos astrônomos. Uma destas estrelas é a R136a1, considerada a mais massiva já descoberta, com 265 massas solares, e também a mais luminosa, 10.000.000 mais brilhante que o Sol.

Esse aglomerado é parte da Nebulosa da Tarântula, cujas nuvens de gás e poeira foram esculpidas pelos ventos estelares e pela radiação ultravioleta dessas estrelas gigantescas. A nebulosa, por sua vez, fica dentro de uma galáxia satélite que orbita a Via Láctea, a Grande Nuvem de Magalhães, a cerca de 170 mil anos-luz de distância. É a maior e mais violenta região de formação de estrelas conhecida em todo o Grupo Local de galáxias. A imagem foi capturada em luz visível pelo Telescópio Espacial Hubble em 2009.

ads
ads

Você pode gostar

Vídeos Quentes
ads
Nas noticias
Carregar Mais
ads
×

Powered by WhatsApp Chat

× Fale conosco pelo whatsapp!