Sem ônibus do Consórcio Guaicurus, alunos da UFMS sofrem para voltar para casa após aulas noturnas

ads

Depender do transporte coletivo em Campo Grande – cuja a concessão pertence ao  – já é um transtorno diário para qualquer trabalhador. Para os estudantes do período noturno da  (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), o problema é agravado pela falta de ônibus e linhas destinados ao bairros, após o horário oficial de saída da instituição, às 22h40.

O acadêmico de administração Gustavo Cardoso, de 22 anos, depende do transporte coletivo diariamente para se deslocar até o trabalho e universidade. Ele é um dos alunos que compartilha do temor de perder o ônibus a noite. “Utilizo os ônibus 61, 72 e o 514 para chegar em casa. Mas se eu perder o 61 que passa às 22h30 [antes da aula acabar oficialmente] na UFMS eu não pego o último 514 que vai para o bairro”, disse ele.

Para o estudante, o Consórcio Guaicurus deveria colocar mais ônibus nas linhas que percorrem os bairros. “Os ônibus de bairro são a maior preocupação, eles passam no mínimo a cada 40 minutos e as vezes você acaba perdendo e chega por volta da 00h na sua casa. É uma situação desagradável, a maioria ali está na mesmo a situação. Trabalhamos o dia inteiro e dependemos de ônibus”, disse ele.

Depois de um dia inteiro de trabalho a acadêmica de Filosofia Janaina de Souza, de 20 anos, vive um problema semelhante em relação aos horários dos ônibus. “Moro no Jardim . Tenho que sair mais cedo da aula, às 22h10, para pegar o 61, ir para o Morenão e depois o 131 que me leva até o bairro. Se eu perder esse 61 eu perco o último 131 que vai para o bairro. Aí tenho tem que pegar o corujão e chegarei por volta das 1h em casa”, disse ela.

No caso do acadêmico de administração Diogo Teodoro, 24 anos, o problema com a falta de ônibus ocorre na saída da UFMS e com as linhas de bairro. “Eu uso o ponto próximo ao lago do amor. Seria interessante se houvesse um ajuste de horário entre a liberação dos alunos e a chegada do ônibus, visto que é só o 503 que passa lá. Minha dificuldade é com as linhas de bairros. No caso, a linha 101 que vai para o bairro Aero Rancho e tem um intervalo de quase 1h. Se eu perder o 101 chegaria em casa bem próximo da meia noite”, finalizou.

O que dizem os envolvidos

jornal Midiamax solicitou esclarecimentos do Consórcio Guaicurus sobre o problema e a possibilidade de acrescentar novas linhas e ônibus, mas até a publicação desta matéria não obtivemos retorno. O espaço segue aberto para posicionamento.

Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) também foi acionada para trazer repostas sobre a fiscalização do serviço prestado pelo Consórcio e como essa situação poder ser resolvida, mas até a publicação desta matéria não obtivemos retorno. O espaço também segue aberto para posicionamento.

ads
ads

Você pode gostar

ads
Nas noticias
Carregar Mais
ads
×

Powered by WhatsApp Chat

× Fale conosco pelo whatsapp!