Uma história de sabor e luxo

A história tornou-se lenda e a lenda vem encantando as gerações com o passar dos anos. Kaldi era um pastor que percebeu que suas cabras tinham especial interesse por uma determinada planta. “Os animais que mastigavam a planta se tornavam mais lépidos, subiam as montanhas com agilidade, revelavam melhor resistência, percorriam quilômetros de subidas íngremes. Ao experimentar os tais frutos, o pastor confirmou seus dotes estimulantes, e a notícia se disseminou pela região, provocando de imediato seu consumo, na forma macerada. A propagação da lenda, famosa durante séculos, confere-lhe foros de veracidade, apropriada até o presente como baliza inicial para a descoberta do café como fruto comestível e de teor estimulante. Seja ela fantasia ou realidade, importa registrar que a revelação do potencial do grão projetou no mundo a planta que, mais tarde, escreveria a história do Brasil”.

O trecho acima, extraído do livro História do Café, resume de forma imaginativa o início do consumo da bebida. E neste sábado, 14 de abril, data em que se comemora o Dia Internacional do Café, nada melhor do que juntar história e mitologia para aproveitar ainda mais o sabor desta que é uma das mais queridas e consumidas bebidas do mundo.

Se, atualmente, o consumo do café mantém fortes ligações com o século XIV, época em que o processo de torrefação foi criado e o fruto ganhou os contornos de formato e sabor que conhecemos hoje, muitos hábitos se modificaram com o passar dos anos.

O hábito de tomar um cafezinho, tão tradicional nas confeitarias do Brasil e do mundo ganhou estilo e charme. A bebida se tornou a principal atração de uma série de lojas dedicadas ao prazer de saborear a infusão dos grãos de café com a água. Além das lojas especializadas na venda dos cafés de luxo, também conhecidos como café gourmet, o produto desfruta de um espaço privilegiado nas prateleiras das lojas de varejo.

No Brasil já existem centros de estudos que ministram cursos para ensinar os mais apaixonados a reconhecer as sutilezas de aromas, sabores e influências nos grãos. Há os que comparam o apreço pelos cafés de luxo, obtidos de grãos selecionados e submetidos a processos de torrefação especiais, ao fascínio que despertam os mais refinados vinhos.  O crescimento do mercado nacional de cafés de luxo foi tão expressivo nos últimos anos que vem despertando o interesse das grandes marcas do setor.

Para quem quer se aventurar pelo saboroso mundo dos grãos torrados, opções não faltam. Existe o suave americano, o forte expresso, o árabe repleto de especiarias, o cortado com pouco leite e o cappuccino com chantilly. Quem busca emoções mais fortes e intensas pode se deliciar com doses generosas de rum no café caribenho, com o licor de amêndoas que acentua o sabor do amaretto ou com a robustez do uísque no café irlandês.

Seja qual for o seu estilo, permita-se envolver pelos aromas e encantos destes grãos repletos de sabor e luxo.